Pai da minha melhor amiga me comeu na casa dele

Me chamo Fernanda, tenho 18 anos, sou estudante de direito, loirinha, seios pequenos, sou considerada gostosa pelos homens e adoro ser chamada assim, aumenta meu ego. Tenho uma amiga chamada Júlia, ela tem a mesma idade que eu e sempre fomos bem unidas. A gente já chegou até a se agarrar uma vez bêbadas, mas não passou de uns beijinhos. Os pais dela são separados, o pai dela mora no Rio, e embora a gente se conhecer a muito tempo, eu jamais tinha visto o pai dela, mas um dia combinamos de ir para o Rio nas férias e posar na casa dele. A Jú tem muitos amigos lá, fiquei com medo de ficar pra escanteio, mas mesmo assim tava empolgadíssima. O pai dela é bem lindo, se chama Jorge, é um homem maduro, de un 42 anos, moreno forte, cabelos grisalhos e olhos puxados. O homem era bem atraente, eu nunca tinha ficado com um homem mais velho, mas ele despertava meu interesse. A gente ficou 1 mês planejando essa viagem, chegamos ao rio e o pai dela foi super gentil. Levou a gente para almoçar, e não tirava os olhos de mim. A Jú morre de ciúmes dele, se ela souber desse relato, ela ficaria puta comigo rs. Na hora de dormir, ele acomodou a gente no quarto dela, eu só durmo de calcinha e sutiã e muitas vezes acordo bem sonolenta de madrugada e saio assim mesmo pra beber água. Nessa noite eu desci até a cozinha de calcinha e sutiã e dei de cara com o senhor Saulo na sala vendo TV. Ele tomou um susto quando me viu e eu fiquei muito sem graça. – Desculpe seu Saulo, eu não sabia que o senhor tava aí, eu ando assim em casa e não imaginei que teria alguém. – Tudo bem, minha querida, a casa é sua, pode ficar a vontade, e é um colírio para os olhos ver uma gata como você assim. Eu corei com o elogio, mas minha bucetinha deu sinal na hora, senti um líquido quente escorrer e molhar minha calcinha, fiquei vermelha na hora. Pai da minha melhor amiga contos erotico

Ele me pegou de jeito

Eu fiquei olhando para ele, e vi os olhos dele subindo pelo meu corpo, olhando meus seios e depois descendo em direção da minha calcinha, olhando minha bucetinha gostosa. -Você tem idade pra ser minha filha, mas é um mulherão já, bem sexy. -Ainda bem que não sou sua filha, senão… Ele entendeu o recado, se aproximou e beijou minha boca, agarrando minha cintura, subindo as mãos pelo meu corpo, alisando minha bunda e me deixando toda arrepiada. Ele queria me foder ali mesmo, mas bateu um pavor da Jú acordar, então a gente parou. Eu disse que ia dormir porque no próximo dia a gente ia sair com os amigos cariocas da Jú, mas ele já tinha sacado que eu sou bem putinha, pediu pra eu dar uma desculpa pra passar a tarde com ele. Eu disse que tava passando meio mal, a ju perguntou se eu queria que ela ficasse em casa comigo, mas garanti que ficaria bem e logo me juntaria a ela. Assim que a Jú saiu, o Jorge entrou no quarto dela e me chamou pra ir ao dele. O quarto era um luxo, cama enorme, lençol de seda e bem geladinho. Como um animal no cio ele me puxou pela cintura, me beijou gostoso e bem grosso, enfiando a língua na minha boca e apertando minha bunda. Ele arregaçou minhas pernas depois de me deixar peladinha, me pegou no colo. Ele é muito forte, me colocou sentada nos ombros dele e começou a me chupar, e como ele chupava bem! aquela barba por fazer arranhava meu grelinho e isso me dava mais prazer, me enlouquecia. Cada chupada que ele me dava, eu me contorcia, me revirava inteira, eu tava no paraíso. A língua dele bem gostosa massageava firme meu grelo, ele me segurando ainda, eu senti que ia cair, aí ele me jogou na cama, ficou de joelhos e continuou invadindo minha buceta molhada com sua boca gostosa. Ele mandou eu ficar de quatro empinadinha e começou a chupar meu cuzinho. Ele deu uma cuspidinha, deixou meu buraquinho bem molhado, abriu as bandinhas com as mãos e deu um banho de língua no meu cu. Ele mordia minha bundinha, apertava, deixou meu rabo todo vermelho. Eu rebolava, louca de tesão, ele sabia fazer gostoso, depois de me chupar inteira ele levantou. – Me chupa! Com muita vontade, quero sentir essa boquinha engolindo meu pau do mesmo jeito que eu fiz com a sua bucetinha gostosa. O pau dele é imenso, mal cabia na minha boca, mas eu tava tão gulosa que encarei com muita vontade. Comecei lambendo a cabecinha, o saco, após soquei tudo na boca olhando nos olhos dele com a maior cara de safada. Notei que ele ficou mais louco nessa hora. Com muito tesão eu logo falei para ele: -Me fode, me arromba logo, tô doida pra ser sua putinha e sentir seu cacete na minha buceta! -Então abre bem as pernas sua safada, que eu vou meter tudinho! -Aiii, não para, me fode vai! me fode inteira. Fiquei toda molinha, ele continuou metendo, eu ficava dando uns pulinhos porque tava bem sensível, mas não demorou, ele gozou também. Logo depois ficamos um tempo de namorinho na cama, tomei meu banho e antes que a Jú chegasse fui para quarto dela de volta. Fiquei com com essa foda com o pai dela por dias na cabeça, o dia que eu volta para o Rio, dessa vez quero da meu cuzinho para ele!!!   Gostou desse conto? Então fique por dentro para ver os próximos contos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*